Causas

A halitose é cercada de mitos e conceitos errados. É um erro achar que toda pessoa que teu mau hálito, é porque não tem cuidados com a higiene bucal, apesar de que mais de  90%  dos casos,  tenham a boca como origem. Na          nossa experiência de mais de 14 anos atendendo pessoas que sofrem de halitose, o que observamos é que esses  pacientes,  tem uma higiene bucal acima da média da população em geral.

Outro erro é achar que a halitose possa ser causada por problemas estomacais.  Mau hálito vindo do estômago é extremamente raro, apesar de que a literatura fale em 1% dos casos.Em quatorze anos de experiência no tratamento da halitose, nunca vi nenhum caso onde a causa fosse  o estômago. 

Outro equívoco que se comete no tratamento da halitose, é a extração das amígdalas. Recebemos muitos pacientes que tiveram as amígdalas diagnosticadas como a causa da halitose,   fizeram a cirurgia de remoção e a halitose permaneceu.

Apesar de que a halitose tenha mais de 90 possíveis causas,  vamos tratar aqui, por questão de espaço,  apenas das mais comuns, que diga-se de passagem, responde por 99% dos casos que aparecem nos consultórios.

Depois da boca, as vias aéreas são as  causas mais freqüentes  de halitose. No entanto, o que observamos no dia a dia de consultório, é que problemas como sinusite, rinite, desvio de septo e cáseos amigdalianos,   não são capazes,  de sozinhos, provocar halitose. É preciso que estejam associados a outras  causas para que consigam provocar mau odor ao hálito. Prova disso, é que nem todas as pessoas que tem  rinite, sinusite, cáseos  e desvio de septo,  sofrem de halitose.

Outras causas importantes, mas menos freqüentes de halitose, são problemas como intestino preso, doenças hepáticas e pulmonares, doenças raras, diabetes e muitas outras, que por questão de espaço, não trataremos aqui, mas caso queira maiores explicações, pode entrar em contato conosco através do nosso formulário de contato, que teremos o maior prazer em tirar suas dúvidas.


CAUSAS MAIS FREQUENTES

De origem bucal:

De  90 a 95% dos casos, o mau hálito  é resultado  da decomposição de  proteínas por bactérias do tipo anaeróbias,   presentes  na cavidade bucal. Essas proteínas  podem  ser oriundas da saliva, de células descamadas do epitélio bucal e ainda da dieta alimentar.

Para entender porque uma pessoa com boa higiene bucal e boa saúde, mas que mesmo assim tem mau hálito, precisamos entender  os mecanismos que levam à formação de um biofilme bacteriano sobre a língua, que chamamos de saburra lingual.

A saburra lingual é uma placa bacteriana que se forma na língua, e é composta por bactérias, células descamadas e proteínas salivares. Uma condição pra que a saburra ocorra é a presença de um fluxo salivar baixo ou muito viscoso, pois nestas  condições, bactérias e o seu substrato facilmente se fixam à língua formando a saburra lingual. È na saburra onde se forma em torno de 80% dos Compostos Sulfurados Voláteis (CSV), que são compostos à base de enxofre, responsáveis pelo cheiro forte do hálito.

A saburra, apesar de estar presente em praticamente todos os casos de halitose,  é uma causa secundária, ou seja, se há saburra é porque existem causas que estão facilitando a sua formação. Removê-la, faz com que o hálito melhore temporariamente, pois logo ela volta a se formar,  e a halitose reaparecerá. 

De uma forma mais simplista, tratar halitose é reequilibrar o fluxo salivar, de forma que consigamos impedir que a saburra se forme, ou que se forme muito lentamente. Dessa forma conseguimos manter o hálito agradável apenas com cuidados básicos de higiene bucal.



De origem não bucal:

Causas fora da boca isoladamente não são comuns, o comum é a ocorrência delas associadas a causas bucais.  Exemplo a sinusite pode predispor alguém a ter halitose, no entanto, nem todas as pessoas que  têm sinusite tem          halitose, não é verdade?

Das causas não bucais,  podemos citar os problemas de vias aéreas como sendo as mais importantes. Dentre elas podemos citar  a sinusite, rinite e os cáseos amigdalianos.


Sinusite/Rinite

Problemas como a sinusite e rinite, isoladamente não causam halitose, caso contrário, toda pessoa que tivesse sinusite ou rinite, teria mau hálito, e no entanto, sabemos que isso não é verdade. O que ocorre é que tanto uma como a outra, podem fornecer substrato para que as bactérias formem os CSV, como também predispor à respiração bucal, que pode por evaporação da saliva e descamação epitelial, facilitar a formação da saburra lingual. 


Cáseos Amigdalianos

Os cáseos são uma massa branca de odor forte e desagradável, semelhante a um grão de arroz cozido, que fica alojada nas amígdalas. Muitas amígdalas são extraídas no intuito de curar o mau hálito, no entanto, recebemos muitos pacientes que tiveram as amígdalas extraídas, por formarem cáseos, e que não obtiveram nenhuma melhora no hálito. A explicação para isso, é que quando o cáseo está na amígdala, ele é recoberto por uma película de saliva que impede que o odor escape, mas que quando expelido, essa película se rompe e faz com que ele passe a ter um odor desagradável, levando a crer que seja ele o responsável pela halitose.

Desaconselhamos a remoção das amígdalas por causa dos cáseos, pois isso tem se mostrado ineficaz no tratamento da halitose. A correção do fluxo salivar tem se mostrado suficiente para impedir ou dificultar tanto a formação dos cáseos como da saburra lingual. 



E o estômago?

Halitose de origem estomacal é extremamente rara. Embora a literatura diga que 1% dos casos possa ter como causa o estômago. Em mais de 14 anos de atuação na área, nunca vi um caso, onde fosse o estômago o causador do problema. 

Quem tem gastrite ou refluxo, deve tratar, mas não espere melhora no hálito, pois isso certamente não vai acontecer. Em condições normais, o estômago tem uma válvula que impede o refluxo do conteúdo gástrico, no entanto, na presença de uma patologia chamada de hérnia de hiato, o conteúdo gástrico pode refluir, mas não chega a comprometer o hálito, pois desaparece em poucos segundos. Além do mais o que reflui do estômago tem cheiro de vômito e gosto ácido, diferente da halitose, que normalmente tem cheiro de enxofre.


 

Teresina (PI) - Rua Arlindo Nogueira, 333, Ed. Luis Fortes, Sala 06 - Prox. Praça do FRIPISA, Centro

Petrolina (PE) - R. Dr. Júlio de Melo 274, Centro (próximo a Praça das Algarobas)

INFORMAÇÕES:

(86) 98817-1721 (Oi)

(87) 98855-0397 (Oi) 

Direitos reservados ao © Consultório do Hálito 2014.

Desenvolvido por Energia Criativa.